Loot boxes sob ataque na Holanda

Loot boxes sob ataque na Holanda

abril 26, 2018 0 Por Morpheus

Da Holanda veio o mais recente ataque às loot boxes. A autoridade de jogo do país anunciou há poucos dias ter feito uma inspeção em 10 videogames, dos mais famosos e conhecidos, e encontrou em quatro deles mecanismos que estão dentro do alcance da lei de apostas e jogos holandesa. Junto com isso, veio um prazo para as desenvolvedoras responsáveis fazerem as alterações necessárias, caso contrário haverá consequências.

O órgão do governo holandês concluiu aquilo que várias outras autoridades em vários países vêm concluindo: que as loot boxes são semelhantes a jogos de cassino. O nome dos quatro jogos alcançados pelo braço da lei não foram revelados.

A polêmica do momento

Para muitos adolescentes, ativar uma loot box de um jogo como Star Wars: Battlefront 2 ou Overwatch pode se tornar tão viciante como jogar no cassino online da redbet, e com uma grande diferença. É que enquanto os cassinos, ou pelo menos as maiores e mais renomadas plataformas, protegem seus usuários, proibindo a utilização por menores de idade, as desenvolvedoras de videojogos estão fazendo precisamente o contrário: incentivam mesmo os jogadores mais jovens a gastar seu dinheiro (concretizando microtransações) nessas funcionalidades que oferecem itens randomizados como uma máquina caça-níquel.

Holanda segue os passos de outros países

Vários países têm se rebelado contra a atividade das desenvolvedoras, sendo as loot boxes uma funcionalidade comum no momento atual, mas talvez nenhum tenha sido tão ativo e determinado como a Holanda. Em diferentes países aconteceram medidas de sensibilização, como aconteceu na vizinha Bélgica; o ministro da Justiça do país anunciou, em novembro de 2017, que toda a União Europeia deveria proibir essas funcionalidades, depois do órgão de regulação dos jogos do país ter concluído também que as loot boxes funcionam como jogos de cassino.

Nos Estados Unidos, uma senadora escreveu para o Entertainment Software Rating Board (ERSB) pedindo medidas para limitar os efeitos da funcionalidade. O ERSB respondeu que os jogos passariam a ter indicação obrigatória da presença de “loot boxes”, como alerta para os pais, mas muitos sentiram que a medida foi insuficiente.

A indústria está recuando, também

A Monolith Production anunciou, no início de abril, a retirada das loot boxes existentes em Shadow of War. O diretor da EA, Patrick Söderlund, falou para a mídia que, depois da polêmica que a empresa sofreu com Star Wars: Battlefront 2, a empresa vai tomar atenção para não correr novos riscos em sua relação com os usuários. Fortnite, que é provavelmente a bola da vez, já não tem loot boxes, mas sim venda de cosmético por um preço fixo e uma subscrição mensal. Outros jogos, como Destiny 2, reduziram bastante as capacidades da randomização e os riscos para os jogadores.

Paul Tassi, jornalista da Forbes tratando sobre o tema, deixa uma ideia legal e otimista: como foi bom ver como a indústria soube ouvir as reclamações de seus usuários e botar as coisas direito rapidamente. Será mesmo?